terça-feira, 12 de setembro de 2017

Toada de ternura




Meu companheiro menino (...)
Vamos remando,
poque é preciso chegar.
Teu remo ferindo a noite,
vai construindo a manhã.
(...)



Vamos andando, Leonardo.
Tu vais de estrela na mão,
tu vais levando o pendão.
Tu vais plantando ternuras
na madrugada do chão.
 (...)
Mas leva contigo a infância,
como uma rosa de flama
ardendo no coração:
porque é de infância, Leonardo,
que o mundo tem precisão.

Thiago de Mello 

Nenhum comentário:

Postar um comentário