quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

ALFABETOS ANTIGOS

A título de ilustração, abaixo um quadro comparativo entre alguns alfabetos antigos. Na sequência temos hieróglifos egípcios, fenício antigo, hebraico antigo, moabita, grego antigo, grego oriental, grego ocidental, grego clássico, etrusco antigo, etrusco clássico, latim antigo, latim antigo monumental e latim clássico.

Uma das maiores contribuições dos romanos para o mundo ocidental foi o alfabeto latino. Ainda que adaptado para as várias e diferentes línguas do mundo, o alfabeto latino conquistou um território nunca antes imaginado pelos romanos e hoje é utilizado até por idiomas que não possuem nenhuma ligação com o latim, como o turco e o chinês. Mas de onde ele veio? Como surgiu? 

Conheça um pouco mais sobre IN: http://linguaportuguesa.uol.com.br/linguaportuguesa/gramatica-ortografia/26/artigo190215-1.asp

OUTRAS FORMAS DE ESCRITA
É interessante saber que o homem sempre possuiu formas diferentes para registrar uma língua - algumas desapareceram com tempo, outras per- manecem. Não é adequado dizer que a escrita "evoluiu", sob pena de afirmar que as formas de escrita hoje são melhores que as antigas. As línguas do Oriente Médio, por exemplo, possuem a forma de escrever muito mais antiga que o alfabeto latino - e nem por isso são inferiores (ou superiores). O fato é que a forma de escrita de um povo sempre será suficiente para suas ne- cessidades linguísticas; caso contrário, o próprio povo, às vezes consciente, outras inconscientemente, adapta a escrita para as necessidades existentes. Dentre as outras formas de escrita podemos destacar:
ABJAD: um tipo de alfabeto só de consoantes. Nessa forma de escrita, as vogais são inferidas pelo contexto ou sinais diacríticos. As línguas semíticas (do Oriente Médio), como o hebrai- co, o árabe e o próprio fenício, são exemplos de línguas que usam abjad. Ao lado exemplos de letras do alfabeto hebraico.
ABUGIDA: uma forma de escrita em que o caractere representa uma consoante e uma vogal previamen- te unida a ela, de modo que as de- mais vogais são representadas por sinais diacríticos. A língua hindu e seu alfabeto devanagári, ao lado, é um exemplo:
IDEOGRAMA: é um tipo de escrita antiga e que existe ainda hoje. Os hieróglifos egípcios, os kanji do japonês e chinês são exemplos desse tipo de escrita. Abaixo alguns hieróglifos:

PICTOGRAMAS: os pictogramas foram as primeiras tentativas de manifestação escrita do homem. Na verdade, os pictogramas estão entre a escrita e o desenho. As primeiras inscrições nas cavernas foram pictográficas:

NÚMEROS LATINOS
Existe uma crença sobre os números latinos serem derivados da inicial do nome do número (C para centum, "cem"; M para mille, "mil"). No entanto, como explicar V (5), X (10), L (50) e D (500)?
O fato era que os antigos pastores marcavam com um traço para contar cada cabeça do rebanho. Mas, como a percepção humana não ultrapassa quatro unidades diferentes, a quinta marca foi concebida de forma diferente (V) e a décima, seu dobro (X não passaria de dois V, um sobre o outro). Já L, C, D, M são originados a partir de letras gre- gas que foram se modificando com o uso: psi (Ψ) para L, teta (Θ) para C e phi (Φ) para M. Acredita-se que D seria, na verdade, a metade direita de phi (Φ). É importante dizer que os romanos não conheciam o numeral zero e que os números, inicialmente, se faziam repetindo as letras. Com o tempo passou-se a utilizar um sistema de subtração que tornou a numeração mais prática, isto é, em vez de LXXXX para 90, usa-se XC (100-10). Ainda hoje é possível ver essa numeração romana utilizada em inscrições de monumentos, principalmente religiosos.


Francisco Edmar Cialdine Arruda*

*Professor da Universidade Regional do Cariri, mestre em Linguística aplicada pela Universidade Estadual do Ceará e pesquisador do Grupo de Pesquisa em Lexicografia, Terminologia e Ensino (LETENS), atuando principalmente com os temas Terminologia, Lexicografia, Surdez, Multimodalidade e Estudos clássicos. Contato: ed0904@gmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário